Este sítio utiliza cookies

Estes cookies são essenciais quer para melhorar as funcionalidades quer para melhorar a experiência de utilização do sítio ALEA.

        

O número total de óbitos por VIH (Vírus da Imunodeficiência Humano) em Portugal atingiu o seu valor máximo em 1996, quando se registaram mais de um milhar de óbitos (1111). Na década em análise, a tendência de crescimento deste indicador apenas foi quebrada no ano de 1997: neste ano ocorreram 972 óbitos, sendo que destes, 815 casos referiam-se a indivíduos do sexo masculino (84% do total de óbitos). Esta proporção tem-se mantido estável nos últimos dez anos.

 

 

Para a década em estudo, a idade mediana dos óbitos por VIH desceu 5 anos: baixou de 38 anos em 1988 para os 33 anos em 1997, quer para o total da população, quer para cada sexo quando considerado isoladamente.

 

 

No ano de 1997, mais de 70% dos óbitos por VIH ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, seguindo-se-lhe a região Norte com 18% (Gráfico 3). Por ultimo, de salientar que durante a última década as taxas de mortalidade registaram o seu valor mais elevado, invariavelmente, na região de Lisboa e Vale do Tejo.

 

 

Para saber mais...

A infecção por VIH é uma das causas de morte mais importantes ao nível da análise demográfica actual, quer directamente, por constituir um factor de alteração da estrutura de determinada população, quer por condicionar atitudes e comportamentos perante a sexualidade e a fecundidade.
Apesar de em Portugal os valores de mortalidade por VIH não serem dos mais elevados em termos internacionais, o facto de ocorrerem mais óbitos nos jovens adultos do sexo masculino repercute-se na estrutura da população.
O aparecimento do VIH também tem consequências directas no crescimento da população, uma vez que a utilização de métodos contraceptivos seguros é factor condicionante da fecundidade. Por outro lado, tem implicações sérias, sob o ponto de vista sociológico, ao favorecer a formação de grupos mais vulneráveis à exclusão social.

 

Algumas definições:

  • Doenças de declaração obrigatória - Doenças constantes da lista anexa à Portaria n.º 766/86, de 26 de Dezembro, com as alterações da Portaria n.º 148/87, de 4 de Março, e da Portaria n.º 40/93, de 11 de Janeiro.
  • Idade mediana dos óbitos por VIH - a idade em que o acumulado dos óbitos ocorridos adicionados a partir dos zero anos atinge 50% do total dos óbitos
  • Taxa de mortalidade por VIH - quociente entre o número de óbitos por VIH ocorridos num determinado ano e a população média do mesmo ano expresso em 100.000 indivíduos
  • VIH (Vírus da Imunodeficiência Humano)

Para encontrar mais informação sobre esta área temática, consulte as Estatísticas da Saúde (publicadas anualmente pelo INE) ou o Infoline.

 

importar em PDF