Este sítio utiliza cookies

Estes cookies são essenciais quer para melhorar as funcionalidades quer para melhorar a experiência de utilização do sítio ALEA.

        

A demografia em sete questões chave... Noticia retirada da noticias magazine de 8 de julho de 2001

Mais três biliões de seres humanos na Terra em 2050! É deste número que se alimentam todos os fantasmas demográficos, da explosão catastrófica às migrações massivas para norte...

Ao ritmo actual, a humanidade aumenta cerca de 80 milhões de habitantes por ano, dos quais mais de 11 milhões são chineses. A China, que acaba de anunciar o resultado do seu recenseamento (um bilião e 265 milhões de pessoas), não é contudo o maior "contribuinte" para a demografia planetária A Índia, onde a natalidade é menos controlada, dá ao planeta perto de 15 milhões de novas almas em cada ano.Este país deverá mesmo ultrapassar a China até 2050, segundo previsões da Organização das Nações Unidas (ONU). O planeta abrigará então mais três biliões de "terráqueos".

1. Quantos somos realmente?

A ONU estima a população mundial em cerca de 6.1 biliões de pessoas. Em Março e Abril últimos, dois dos três países mais povoados do mundo anunciaram os resultados dos seus recenseamentos: um bilião e 265 milhões de chineses e 281421 906 americanos.

2. A população mundial vai explodir?

Não. Por enquanto, o povoamento parece estar embalado: um bilião de seres humanos em 1800, dois biliões em 1927, três biliões em 1960, quatro biliões em 1974, cinco biliões em 1987, seis biliões em 1999... " Estes números parecem vertiginosos, mas não se pode falar em explosão", afirma Gilles Pison. "Seria o caso se a população mundial seguisse uma curva exponencial, se a sua taxa de crescimento se mantivesse constante. E esse não é o caso.

3. A "bomba P" não estoirou porquê?

Porque quase todos os países do mundo conheceram a "transição demográfica" (que faz passar uma população de um regime de alta natalidade e mortalidade ao inverso - ver gráfico 4) . Durante estes dois regimes demográficos, os nascimentos e as mortes equilibram-se e a população aumenta pouco. Entre estes dois regimes, a mortalidade diminui mais rapidamente que a natalidade: a população aumenta em flexa. Depois de duas, três ou quatro gerações de transição, o número de crianças por mulher acaba por se aproximar de dois. Na Europa, nos Estados Unidos ou no Japão, este número é inferior a dois.

4. Estão a verificar-se migrações massivas?

"Esta é uma ideia que teima em não desaparecer" assegura Hervé Le Bras, "mas é falsa. Segundo os números da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), os fluxos migratórios são dez vezes menos importantes hoje do que no início do século passado.

5. Somos cada vez mais velhos?

Sim, a população envelheceu. "É uma grande mudança que não tinha sido considerada", afirma Hervé Le Bas. "Tanto nos países industrializados, como nos países em vias de desenvolvimento, ganha-se um ano de esperança de vida em cada 4 - 5 anos". Apenas uma excepção: a África negra, onde a epidemia da sida mata milhões de pessoas, provocando uma diminuição da esperança de vida de mais de 10 anos em muitos países!

6. Qual a razão do crescimento das cidades?

Desde há dois séculos, o êxodo rural trouxe milhões de rendeiros e pequenos comerciantes paras as cidades. Em 1900, Londres era a única aglomeração de mais de cinco milhões de habitantes. Em 2000, mais de 45 cidades ultrapassam este número e 19 delas franquearam a fronteira dos 10 milhões. Tóquio tem hoje 28 milhões de habitantes. Surpresa: a Cidade do México, considerada até há pouco tempo como a futura maior cidade do planeta, esgotou o seu viveiro de população circundante. A sua dinâmica demográfica não foi suficente para "ganhar" a Tóquio. Em 2050, 60 cidades ultrapassarão os cinco milhões de habitantes - ver gráfico 3.

7. A Terra dará de comer a todos?

Sim. "Em 1800, o planeta alimentava mal, no conjunto, o seu bilião de habitantes", afirma Gilles Oison. "Hoje globalmente alimenta melhor os dois biliões. Entre 1950 e 2000, a população duplicou. Alimentaram-se os recém-chegados aumentaram-se os rendimentos. Até 2050, a população aumentará duas vezes menos...".

 

Para saber mais:

Dossier ALEA n.º 1: População e Demografia
http://alea.ine.pt/html/statofic/html/dossier/html/dossier.html

INE - Censos 2001
http://www.ine.pt/censos2001/

Population index on the web
http://popindex.princeton.edu/index.html

Sciense&Vie
http://www.montparnasse.net/science/

PopNet
http://www.popnet.org/index.html

U.S. Census Bureau reports
http://www.census.gov/ipc/www/clock2.html

UNFPA
http://unfpa.org

Ver gráficos