Este sítio utiliza cookies

Estes cookies são essenciais quer para melhorar as funcionalidades quer para melhorar a experiência de utilização do sítio ALEA.

        

A EUROPA DO SIM OU DO NÃO
A ratificação do Tratado Constitucional Europeu passa pela aprovação dos diversos países que integram a Uniao Europeia. Em alguns países, como a Alemanha, o parlamento aprovou por esmagadora maioria a Constituição Europeia. Noutros, como em França, a população reprovou, em referendo, o Tratado Constitucional. Qual o futuro deste tratado?
 

Noticia retirada do Courrier internacional .com
n.º 7
20 a 26 de Maio de 2005

A constituição europeia continua a ser o objectivo político da Alemanha: o Buntestag fez bem em votar “sim”. Mas a Europa não encontrou ainda a sua forma para o século XXI.

Ninguém alguma vez duvidou que o Bundestag votaria em massa a favor do tratado que estabelece uma Constituição para a Europa e que a maioria de dois terços seria largamente ultrapassada. Essa certeza explica-se, entre outras coisas, pelo facto de, na Alemanha o processo de unificação europeia resultar de razões de estado (…)

Mas, se é positivo que o Bundestag tenha ratificado esse documento, não é apenas por razões que se prendem com o século XX, que já quase pertencem à História. O principal mérito do tratado constitucional é organizar a Europa de modo que ela consiga aguentar os desafios de um processo de alargamento que ainda não terminou.

Será já, de qualquer modo, bastante difícil fazer funcionar a União a 25 ou mais; mais cedo ou mais tarde tornar-se-á impossível com os procedimentos actuais.

Mapa da ratificação do Tratado Constitucional

 

Para ver mais...

  • Mapa do Courrier Internacional número 0 (sondagem sobre a tendência do Sim e do Não)