Este sítio utiliza cookies

Estes cookies são essenciais quer para melhorar as funcionalidades quer para melhorar a experiência de utilização do sítio ALEA.

        

Noticia retirada do Público - Edição Online do dia 10 de janeiro

INSUCESSO ESCOLAR ATINGE
16 POR CENTO DOS ALUNOS

Dados de 2003/2004 do Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema Educativo mostram poucas evoluções nas taxas de aproveitamento

 
 

Ensino básico e secundário

No ano lectivo de 2003/2004, num universo de quase um milhão e 400 mil matriculados no ensino regular, 223 676 alunos não conseguiram transitar de ano. Ou seja, 16 por cento dos estudantes do básico e secundário chumbaram ou desistiram. São estes os últimos dados disponibilizados pelo Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema Educativo (GIASE) relativos às taxas de aproveitamento.

No essencial, confirmam que poucos progressos tem havido desde meados da década de 90. E que os anos correspondentes à transição de ciclo – 5.º , 7.º e 10.º – continuam a ser dos que mais dificuldades causam. Se em 1995/1996, a taxa de retenção no ensino básico se situava nos 13,8 por cento, oito anos mais tarde a percentagem está ainda nos 12. Ainda assim desce pelo segundo ano consecutivo. Ao nível do ensino secundário não houve qualquer progresso.

Em 1995/1996, chumbaram 33,1 por cento dos matriculados. Oito anos mais tarde e algumas oscilações depois, o insucesso chega a ser ligeiramente maior: 33,8 por cento.

 

Um terço dos alunos retidos no secundário

Concluído o ensino obrigatório, as estatísticas mostram que o impacto da transição para o secundário faz-se sentir de forma muito considerável nas taxas de sucesso, em particular entre os que optam pelos cursos tecnológicos (mais orientados para a inserção no mercado de trabalho). No 10.º, mais de 11 mil dos 24 mil alunos que se matricularam nesta via de estudos em 2003/2004 não conseguiram conclui-lo nesse ano lectivo. Em termos percentuais, a taxa de retenção/desistência atinge os 47 por cento.

O pico do insucesso ocorre no final do secundário. Com a obrigatoriedade da realização de exames nacionais para a conclusão do 12.º ano e com estas provas a contar 30 por cento no cálculo da nota final, a maioria dos alunos (55 por cento) acaba por precisar de pelo menos mais um ano lectivo para terminar o ensino secundário.

 


Consultar mais informação: Página Web do GIASE (Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema Educativo) http://www.giase.min-edu.pt/