Este sítio utiliza cookies

Estes cookies são essenciais quer para melhorar as funcionalidades quer para melhorar a experiência de utilização do sítio ALEA.

        

Expresso Notícia do jornal Público
21 de Dezembro de 2011

Queda das taxas de emprego penalizou mais os licenciados.

 

Aos 20 anos, um em cada três jovens está a frequentar o ensino superior, mas vai ser difícil atingir a meta definida pela UE para 2020.

Os jovens licenciados portugueses com menos de 25 anos são os mais atingidos pela quebra das taxas de emprego registada na última década, enquanto na média europeia os mais lesados neste grupo foram os que tinham qualificações mais baixas.

Esta é uma das "especificidades" que Portugal apresenta no cenário actual de restrição das oportunidades de emprego frisa-se no último relatório sobre o Estado da Educação, onde se faz um balanço sobre a evolução das qualificações dos portugueses entre 2000 e 2010.

Apesar de os licenciados terem sido mais penalizados, a taxa de emprego da população portuguesa com ensino superior continua a ser mais elevada do que a de outros grupos. Uma qualificação a nível superior continua a ter vantagens, "tanto no acesso ao emprego como nas probabilidades de o manter", o que pode ser confirmado através da evolução das taxas de desemprego, afirma o Conselho Nacional de Educação (CNE).

Em 10 anos, a percentagem da população entre os 25 e os 64 anos com o ensino superior subiu de 8,8% para 15,4%. A diferença para a média europeia (25,9%) é de 10,5 pontos percentuais. O número de diplomados passou de 61.140 em 2000 para 78.609 em 2010.

Entre os que se licenciaram no ano passado, 60,1% eram do sexo feminino, uma situação que o CNE frisa ser "consistente com a observação dos percursos escolares femininos no ensino básico e secundário", onde as raparigas têm, no geral, melhores desempenhos e chumbam menos.

">

População que atingiu pelo menos o 12.º ano

Gráfico comparativo entre Portugal e UE, nos anos 2000, 2005 e 2010, em %

Taxa de saída escolar precoce, 18 a 24 anos sem o 12.º ano

Gráfico comparativo entre Portugal e UE, nos anos 2000, 2005 e 2010, em %

Novas oportunidades

Gráficos com a evolução do n.º de adultos em processos de RVCC e do n.º de adultos certificados

N.º de inscritos no 3.º ciclo por modalidade e no secundário por modalidade

Tabelas com o n.º de alunos por nível de ensino e modalidade

Mais alguns números interessantes

Relação entre a oferta e a procura no ensino superior, taxa de emprego dos diplomados com ensino superior, evolução de inscritos por subsistema de ensino